Páginas

Ser de esquerda é não aceitar as injustiças, sejam elas quais forem, como um fato natural. É não calar diante da violação dos Direitos Humanos, em qualquer país e em qualquer momento. É questionar determinadas leis – porque a Justiça, muitas vezes, não anda de mãos dadas com o Direito; e entre um e outro, o homem de esquerda escolhe a justiça.
É ser guiado por uma permanente capacidade de se estarrecer e, com ela e por causa dela, não se acomodar, não se vender, não se deixar manipular ou seduzir pelo poder. É escolher o caminho mais justo, mesmo que seja cansativo demais, arriscado demais, distante demais. O homem de esquerda acredita que a vida pode e deve ser melhor e é isso, no fundo, que o move. Porque o homem de esquerda sabe que não é culpa do destino ou da vontade divina que um bilhão de pessoas, segundo dados da ONU, passe fome no mundo.
É caminhar junto aos marginalizados; é repartir aquilo que se tem e até mesmo aquilo que falta, sem sacrifício e sem estardalhaço. À direita, cabe a tarefa de dar o que sobra, em forma de esmola e de assistencialismo, com barulho e holofotes. Ser de esquerda é reconhecer no outro sua própria humanidade, principalmente quando o outro for completamente diferente. Os homens e mulheres de esquerda sabem que o destino de uma pessoa não deveria ser determinado por causa da raça, do gênero ou da religião.
Ser de esquerda é não se deixar seduzir pelo consumismo; é entender, como ensinou Milton Santos, que a felicidade está ancorada nos bens infinitos. É mergulhar, com alegria e inteireza, na luta por um mundo melhor e neste mergulho não se deixar contaminar pela arrogância, pelo rancor ou pela vaidade. É manter a coerência entre a palavra e a ação. É alimentar as dúvidas, para não cair no poço escuro das respostas fáceis, das certezas cômodas e caducas. Porém, o homem de esquerda não faz da dúvida o álibi para a indiferença. Ele nunca é indiferente. Ser de esquerda é saber que este “mundo melhor e possível” não se fará de punhos cerrados nem com gritos de guerra, mas será construído no dia-a-dia, nas pequenas e grandes obras e que, muitas vezes, é preciso comprar batalhas longas e desgastantes. Ser de esquerda é, na batalha, não usar os métodos do inimigo.
Fernando Evangelista

sábado, dezembro 17, 2016

SILAS MALAFAIA ACUSADO EM CORRUPÇÃO DE ROYALTIES.

SILAS MALAFAIA ACUSADO EM CORRUPÇÃO DE ROYALTIES.

 
 
 
 
 
 
Rate This

O pastor Silas Malafaia da Assembleia de Deus vitoria em Cristo está sendo investigado em uma corrupção envolvendo Royalties, a notícia caiu como uma bomba no meio evangélico, já que não é a primeira vez que segmentos da Assembleia de Deus é citada por estar envolvida em corrupção no meio político.
invstigado
A notícia foi destaque na Folha de São Paulo, num momento que a operação lava Jato começa revelar nomes que até então estavam fora de suspeitas.
pastor-na-corrpcao
O nome da operação é referência a uma passagem do livro Timóteo, integrante da Bíblia Cristã: 9 Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição.
pastor-silas-malafaia-agora-e-investigado
paztorzinho
assembleianos
O envolvimento de políticos com setores religiosos dá uma pista de como as religiões protestantes deram um passo errado em abrir as portas dos seus templos para fazer deles palanques eleitorais, simplesmente movidos pela ganância de ampliar o seus impérios, negociando não apenas o voto dos seus seguidores, mas também recebendo propinas de empresas e políticos renomados.
lava jato
A suspeita a ser esclarecida pelos policiais é se Malafaia teria “emprestado” contas correntes de uma instituição religiosa sob sua influência com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores.
A nota oficial da Polícia Federal faz referência a uma “liderança religiosa” que recebeu valores do principal escritório de advocacia responsável pelo esquema.
timoteo operação.jpg
pastor-na-corrpcao666

Nenhum comentário:

Postar um comentário